Bom relacionamento entre pais divorciados: Luana Piovani e Pedro Scooby

Com o exemplo de Luana e Pedro Scooby, especialista fala da importância de um bom relacionamento entre pais divorciados.

Alexander Bez fala sobre o tema e dá dicas para um rompimento tranquilo, para evitar traumas nas crianças.

Há alguns dias o participante do BBB22, Pedro Scooby, falou sobre o bom relacionamento com a atriz Luana Piovani, sua ex-mulher. Ressaltando também sua convivência com Lucas Bitencourt, atual marido da mesma e a amizade entre Luana e sua esposa, Cintia Dicker.

A atriz logo respondeu em seu Instagram. Confirmou a fala do brother, dizendo que há um respeito mútuo na relação e chegou a propor um “churrascão” para juntar todos após o reality.

“É essencial que pais divorciados tenham um bom relacionamento, principalmente para que o conflito anotado na camada do inconsciente, não seja tão negativo. Além do mais, é importante para barrar maiores frustrações, não só pessoais, mas também a fim de que essa criança não tenha prolongamento do trauma da separação, e consequentemente, não desenvolva transtorno de Stress Pós-Traumático, quando ela tiver sua própria relação conjugal.”

– complementa Alexander Bez.

De acordo com o psicólogo, especialista em relacionamentos pela Universidade de Miami (UM), quanto mais traumático tenha sido o divórcio dos pais, mais “rupturas mentais irão constar no aparelho mental da criança, adolescente ou até mesmo – embora não seja muito anotada como um grande determinante no psiquismo – no jovem adulto”.

Dessa forma, o impacto do rompimento pode gerar manifestações de transtornos mentais, como: Depressão, Ansiedade, Transtornos de Insegurança, de Dependência, Transtornos Transferenciais Conjugais (no qual a criança vai querer se casar cedo para compensar a má relação dos pais). “A lista é longa!” – diz Alexander.

Dicas sobre como os pais devem lidar com o divórcio em relação aos filhos:

  • Todas as crianças, conforme sua faixa etária têm uma linguagem. E é dever dos pais entender qual seja ela para que haja uma conversa sobre o rompimento. Sempre tomando muito cuidado, para as comunicar com suavidade e tranquilidade, a fim de não criar uma situação maior do que será.

  • Nunca rejeitá-las após a separação, pois na mente delas, elas já estão sendo preteridas.

  • Mostrar de que ambos os amam e que as crianças irão ser acompanhadas em suas tarefas constantemente, estando sempre presentes.

  • Evitar todas e quaisquer discussões em frente aos filhos – especialmente em relação a questões financeiras, para que o dinheiro também não seja outro agravante no futuro.

  • Evidenciar que as crianças não possuem culpa na separação.
Compartilhe nas redes sociais :)