mulher grávida, tomando bebida
Maternidade

Grávida pode tomar Energético?

grávidas devem se alimentar de forma saudável 1
grávidas e alimentos saudáveis

O que dizem os especialistas?

Quando você está grávida, uma placenta cresce em seu útero e fornece ao bebê alimentos e oxigênio através do cordão umbilical. Os nutrientes dos alimentos que você ingere são repassados ​​ao bebê, incluindo os ingredientes das bebidas energéticas.

Os pesquisadores não conhecem os efeitos de todos os ingredientes das bebidas energéticas e, como diferentes tipos de bebidas energéticas contêm coquetéis de ingredientes diferentes, as bebidas energéticas podem ser difíceis de testar.

Gestante pode tomar energético? Veja o que diz os estudos…

Alguns estudos em animais encontraram uma associação negativa ao consumir bebidas energéticas regularmente durante a gravidez.

Em estudos onde camundongos durante a gestação receberam uma pequena quantidade de bebida energética diariamente, descobriram que, quando expostos a bebidas energéticas diariamente, os camundongos recém-nascidos apresentavam estresse oxidativo, lesão tecidual e alterações comportamentais (incluindo ansiedade) .

Os pesquisadores concluíram que “o consumo de bebidas energéticas durante a gravidez e a lactação tem um impacto negativo sobre os recém-nascidos e deve ser tratado como um problema de saúde significativo que merece atenção”.

Os resultados deste estudo afirmam que evitar a ingestão de bebidas energéticas durante a gravidez é uma recomendação universal. Na verdade, os rótulos das bebidas energéticas contêm advertências que afirmam “Não recomendado para crianças, pessoas sensíveis à cafeína, mulheres grávidas ou mulheres que estão amamentando.”

Emily Mitchell

Emily Mitchell, nutricionista do Center for Fetal Medicine nos USA diz: “Bebidas energéticas não são recomendadas durante a gravidez, pois podem conter altos níveis de cafeína e outros ingredientes não recomendados para mulheres grávidas. Bebidas energéticas também não são regulamentados pelo FDA, pois se enquadram na categoria de suplementos alimentares. Os suplementos não são regulamentados e podem conter ingredientes que não estão listados no rótulo. “

Para provar ainda mais esta afirmação, é a posição da Academia Americana de Nutrição de Dietética que,

“Uma bebida energética é qualquer bebida que contenha alguma forma de estimulante legal e / ou vitaminas adicionadas para fornecer um aumento de energia a curto prazo. as bebidas podem conter quantidades substanciais e variáveis ​​de açúcar e cafeína, bem como taurina, carnitina, inositol, ginkgo e cardo leiteiro. Muitos deles não foram estudados quanto à segurança durante a gravidez. Ginseng, outro ingrediente comum, não é recomendado para uso durante a gravidez. Recomenda-se evitar bebidas energéticas durante a gravidez.

Afirma nutricionista.

Preocupações Gerais com a Saúde

Numerosos estudos testaram as diferentes respostas cardiovasculares agudas em pessoas que bebem bebidas energéticas adoçadas com açúcar.

Os resultados desses estudos parecem variar, dependendo do tipo de bebida energética em estudo e do tipo de instrumentos de medição usados.

Alguns estudos de pesquisa documentaram um aumento na pressão arterial sistólica, bem como aumento da pulsação após o consumo de bebidas energéticas.

Embora nenhum dos estudos tenha sido realizado em mulheres grávidas, se esses efeitos são sintomas potenciais pós-consumo, então é aconselhável evitar o consumo quando grávida.

Por que esses ingredientes são tão problemáticos?

Os ingredientes das bebidas energéticas variam de acordo com o fabricante. Muitas bebidas energéticas contêm uma mistura de ingredientes que criam uma mistura energética. O problema com essas misturas é que é muito difícil descobrir quais ingredientes podem causar sintomas adversos.

Uma das principais preocupações nas bebidas energéticas para gestantes é a quantidade de cafeína, que nem sempre pode ser determinada com facilidade. De acordo com a National Beverage Association,

“As principais bebidas energéticas divulgam voluntariamente a quantidade total de cafeína – de todas as fontes – por lata / garrafa, mas não são obrigados a fazê-lo.”

Como é importante monitorar a ingestão de cafeína durante a gravidez, isso pode ser problemático se você não conseguir rastreá-lo.

Cafeína

A cafeína é um dos principais ingredientes das bebidas energéticas e é conhecida por ativar o sistema nervoso simpático. A overdose de cafeína pode causar convulsões, psicose e arritmias cardíacas. Mitchell diz: “O excesso de cafeína pode aumentar a pressão arterial e a frequência cardíaca.

Afeta o sistema nervoso e pode causar irritabilidade, nervosismo e insônia. A evidência do uso de cafeína em a gravidez não é conclusiva, então é melhor limitar. ” As mulheres grávidas são aconselhadas a limitar a cafeína durante a gravidez a “200 mg ou menos, que é a quantidade de uma xícara de café de 350 ml”, diz ela

Adoçantes não nutritivos

Algumas bebidas energéticas contêm adoçantes não nutritivos. Os adoçantes não nutritivos são alternativas de zero ou de baixa caloria aos adoçantes nutritivos, como o açúcar de mesa. Eles ajudam a adicionar doçura sem adicionar calorias e açúcar. Por serem muito mais doces que o açúcar, pequenas quantidades precisam ser adicionadas para criar doçura.

A Food and Drug Administration aprovou o uso dos seguintes adoçantes não nutritivos: acessulfame-K, aspartame, neotame, sacarina, sucralose e estévia.

O problema com eles é que há pesquisas limitadas que abordam a segurança de adoçantes não nutritivos na gravidez saudável e, portanto, na maioria das vezes, esses tipos de adoçantes devem ser evitados.

Açúcar

Se as bebidas energéticas não têm adoçantes não nutritivos para adicionar doçura, elas usam açúcar. Muito açúcar pode adicionar calorias excessivas prejudiciais, o que pode resultar em ganho de peso excessivo.

Além disso, para mulheres com diabetes gestacional, isso pode ser muito problemático porque elas precisam monitorar sua ingestão de carboidratos e limitar os açúcares simples para evitar grandes oscilações no açúcar no sangue.

Taurina

Algumas bebidas energéticas contêm taurina, um aminoácido contendo enxofre condicionalmente essencial, encontrado naturalmente em alimentos de origem animal, que apoia o desenvolvimento neurológico e regula a quantidade de água e minerais no sangue.

Como o cérebro e a retina dos bebês humanos não estão totalmente desenvolvidos no nascimento e podem ser vulneráveis ​​aos efeitos da privação de taurina, as fórmulas infantis são suplementadas com taurina.

Pouco se sabe sobre os efeitos da taurina durante a gravidez, quando combinada com bebidas energéticas. E, portanto, é recomendável evitá-lo durante a gravidez.

Ginseng

O ginseng, frequentemente referido pelo seu nome latino, Panax ginseng, é um suplemento de ervas asiático usado há mais de 2.000 anos.

De acordo com o National Institute of Health, “foram levantadas questões sobre sua segurança em longo prazo, e alguns especialistas não recomendam seu uso por bebês, crianças e mulheres grávidas ou amamentando” .

Na verdade, a American Academy of Nutrição e Dietética desencorajam o uso na gravidez. Isso provavelmente ocorre porque existem poucos estudos de qualidade que examinam os efeitos de longo prazo.

Além disso, os efeitos colaterais mais comuns do ginseng são dores de cabeça, problemas de sono, como insônia, e sintomas digestivos. Por último, pode afetar o açúcar no sangue e a pressão arterial, portanto, se você tem diabetes gestacional ou pressão alta, deve evitar o ginseng.

Guaraná

Guaraná é outra fonte de cafeína que vem naturalmente de uma planta. É frequentemente adicionado a bebidas energéticas por seu potencial de aumentar o desempenho atlético e a concentração.

Como as mulheres grávidas precisam monitorar a ingestão de cafeína, bebidas energéticas com cafeína e guaraná devem ser evitadas.

Não há mistura universal

Todas as bebidas energéticas não são iguais e não contêm os mesmos ingredientes. Isso pode dificultar a compreensão dos efeitos das bebidas energéticas.

Por exemplo, uma lata de Redbull regular contém: cafeína, taurina, açúcar e vitaminas B, enquanto uma lata da Monster contém: ginseng, carnitina, glicose, cafeína, guaraná, inositol, glucuronolactona e maltodextrina.

É impossível saber os efeitos das várias misturas de ingredientes e as quantidades fornecidas por lata, que também variam de acordo com o produtor. E como os suplementos, como misturas de ervas, não são regulamentados pela Food and Drug Administration, não está claro o que esses ingredientes e combinações de ingredientes podem fazer à mãe ou ao feto.

Posso beber energético se estiver amamentando?

Muitas mulheres que estão amamentando, especialmente nos primeiros estágios da infância, têm horários de sono interrompidos, o que pode fazer com que a pessoa se sinta letárgica.

Embora possa parecer razoável consumir uma bebida energética, para aumentar a energia e o estado de alerta, a cafeína nas bebidas energéticas pode passar para o leite materno.

Alguns bebês podem ser sensíveis à cafeína e apresentar aumento da irritabilidade e distúrbios do sono quando expostos à cafeína do leite materno. Embora parte da ingestão de cafeína seja considerada segura e aceitável, o excesso não é recomendado.

Além disso, mulheres que amamentam que consomem bebidas energéticas podem estar ingerindo ingredientes à base de plantas que não passaram por avaliação científica. É importante discutir o consumo e revisar os rótulos com seu médico porque, se você estiver tomando vitaminas pré-natais, estará mais suscetível à toxicidade da vitamina.

Garras de bebibas energéticas e esportivas
Tipos de bebidas esportivas e energéticas

Não confunda bebidas energéticas com bebidas esportivas

Muitas vezes, as bebidas energéticas são encontradas ao lado de bebidas esportivas em supermercados e lojas de conveniência. É importante não confundir bebidas energéticas com bebidas esportivas.

As bebidas esportivas, que são feitas para apoiar a hidratação e o equilíbrio eletrolítico, não contêm cafeína.

As bebidas energéticas contêm cafeína e demasiada cafeína pode levar a um aumento da produção de urina, o que pode aumentar o risco ou piorar a desidratação. É sempre importante conhecer os rótulos e ler os rótulos de todas as bebidas antes de consumir.

Dicas finais

As bebidas energéticas são consumidas em todo o mundo por vários motivos, mas se estiver grávida, deve evitá-las. As misturas de ingredientes variam e as misturas não são bem estudadas em mulheres grávidas ou amamentando.

Como não podemos determinar os efeitos que as bebidas energéticas terão sobre a mãe ou o bebê, é melhor evitá-los completamente. Sempre que tiver dúvidas sobre um produto, consulte seu médico.

Fonte: VeryWellFamaly