Leda Risse uma artista do seu tempo

A artista plástica Leda Risse, brasileira, nordestina, pernambucana, residente na Suíça, há 20 anos, na cidade de Friburg, pensou, desenvolveu e criou, em parceria com seu marido Thierry Risse, uma galeria virtual para que artistas plásticos possam expor e vender suas obras.

“este empreendimento surgiu da dificuldade que se abateu no mundo, devido à pandemia do COVID-19, de muitos artistas não terem espaço para apresentarem as suas artes”.

cita Leda Risse

Mãe de três filhos, a artista revela que o seu talento começou bem cedo. Aos 10 anos de idade, pintando desenhos abstratos, característica que carrega até os dias atuais. Ainda criança, usava as toalhas de mesa, tecidos, panos de prato e cortinas como telas para a sua inspiração.

Para Leda, vender os quadros ou a arte do artista, expor, fazer o trabalho do artista correr o mundo, gerar dinheiro, movimentar o universo das redes sociais, voltado para este segmento, e um público mundial. Esta é a visão empreendedora da família Risse. E o processo é simples: o artista preencherá um formulário com os seus dados e as obras que serão expostas.

Com a venda de cada quadro, a galeria cobrará uma taxa (manutenção) de 30%, em cima da obra vendida.

Leda chama a atenção que o artista poderá expor, de forma gratuita, 5 obras de arte. Passando desta quantidade, será cobrada uma taxa. É importante informar o nome da obra, o tamanho, a descrição e o valor.

A galeria virtual “Fabled Gallery Art” que em português se chama – “Fabulosa Galeria de Arte” – tem tradução para todos os idiomas. Para saber mais informação acesse a Fable Galerry Art

Recentemente, a artista deu mais um salto em sua carreira. Ela convidou os amantes das artes plásticas a descortinar a sua nova coleção de quadros e telas, através da exposição: “Luz artística terapêutica”, que aconteceu na Fundação Clémence – um lugar de vida, estabelecimento médico e social para a pessoa idosa entre os meses de fevereiro e abril de 2021, em Lausanne, Suíça.

Leda nos faz refletir que a arte, a pintura, é algo transcendental, terapêutica, no sentido latu da palavra, de curar ou amenizar a dor. A cura divina, as dificuldades do Brasil (sua terra natal) e do mundo, a liberdade, a saúde do povo, a prosperidade, o amor, que são temas recorrentes em seus trabalhos.

Sua inspiração a fez ganhar a medalha de prata por seus trabalhos pincelados em suas telas, no “France Asia Cultures – le point des arts“, em Paris. E se não fosse pelo coronavírus, a artista iria expor suas telas em salões de artes na Bélgica e EUA.

Leia: Mulheres 50+ Combatem a Invisibilidade Investindo no Mercado Prateado

Projeto social

Outra artimanha da artista foi a de criar um site em Portugal que pudesse falar do projeto Bella Batista, voltado para ações sociais e humanitárias, para ajudar pessoas, mundo a fora, que estão passando por necessidades de eucaristia. E como esta ajuda se fazʔ

Pode não ser muito, mas com a venda dos seus quadros, Leda retira uma parte e transforma em cestas básicas que são distribuídas em vários cantos do mundo. A proposta é que, com o tempo, o projeto que é pequeno, cresça, abarque outras pessoas e se torne autossustentável.

Leda desenvolveu um site – bellabatista.com para ser algo muito maior do que oferecer arte ou, simplesmente, comercializar as suas obras. Através desta janela virtual o mundo pode ter mais uma forma de conexão e entender que fazemos parte de um todo. Assim, inserir-se neste projeto social e humanitário de ajuda ao próximo.