Para se tornar mãe, mulher muda vida profissional

Areta e o marido estão prestes a realizar o sonho ter um filho, por meio da adoção, e por isso alteraram os planos profissionais e se tornaram empreendedores

Para ser empreendedor é preciso muita dedicação e trabalho duro. Mas para ser uma mãe empreendedora preciso tempo para cuidar do filho. E este foi um dilema enfrentado pela jornalista Areta Rezende Braga Giglio, 39, quando junto com o marido, Carlos Alberto Giglio Junior, 40, decidiu mudar por completo a sua vida profissional para dar espaço ao sonho de ser mãe.

Porém, por sete anos tentando, não conseguiu engravidar fazendo com que ela e seu marido, duas pessoas saudáveis e sem causas aparentes, entrassem para a estatística da infertilidade. E para manter este ideal vivo, decidiram pela adoção.

“Minha rotina como jornalista, trabalhando em agências, era muito puxada. Meu marido e eu vínhamos conversando sobre outros caminhos a seguir, neste nosso desejo de sermos pais, e como faríamos para encaixar um bebê nesta nossa rotina diária. Tentamos diversos tratamentos, sem sucesso. E nisso viemos amadurecendo a ideia de adoção, que iniciou no final de 2019, com a entrada da papelada. Mas precisaríamos desacelerar e sair um pouco de nossas áreas”, conta Areta.

Em fevereiro de 2020 eles adquiriram, por repasse, uma unidade da Unhas Cariocas, uma das principais redes de franquia de esmalteria do Brasil, no Colinas Shopping, em São José do Campos, cidade onde residem.

“Eu já conhecia a Unhas Cariocas e utilizava os serviços da unidade que adquirimos. Fiz contato com a rede e iniciamos o namoro. Até houve oferta de franquias fora de São José do Campos, mas queríamos estar aqui, desacelerar, sem precisar ficar viajando inclusive, pelo processo de adoção e para termos mais flexibilidade para nosso bebê”, comenta a empreendedora.

Para a sorte do casal, a loja do Colinas Shopping, entrou para venda. “Foi quando surgiu a oportunidade de comprar esta unidade da qual somos proprietários hoje. Isso coincidiu com as etapas finais de entrevistas do processo de adoção, como entrevistas com psicóloga e assistente social. Para a nossa alegria, no final de 2020 entramos efetivamente na fila de adoção e agora seguimos aguardando a chegada do nosso bebê”, conta a futura mamãe.

A parceria para a maternidade

Para realizar o sonho, Areta conta muito, de forma evidente, com o apoio de seu marido, que também mudou completamente a sua vida profissional visando conquistar o que desejam. “Meu marido é administrador de empresas e, após alguns anos trabalhando em uma multinacional, saiu do emprego devido as viagens constantes e longos períodos distante da família.

Com isso, abriu uma financeira, que também era franquia. Após assumirmos a unidade da Unhas Cariocas, ele ainda permaneceu na financeira até junho de 2020, quando decidiu vendê-la. Hoje trabalhamos 100% do tempo juntos e conseguimos ter flexibilidade ideal para receber nosso filho”, comenta orgulhosa.

Pandemia nos negócios e processo final de adoção

Já em fase final da adoção, Areta disse que, mesmo com as dificuldades por conta da pandemia, conseguiram aumento no ticket médio da unidade.

“Nosso processo de adoção está na fase final, agora só precisamos aguardar o encontro com o nosso filho (a). Enquanto isso, trabalhamos duro para quando ele (ou ela) chegar estarmos mais disponíveis e com mais condições financeiras. Nós vemos muito potencial para fazer esta unidade crescer. A pandemia causou queda no faturamento e três fechamentos temporários por lockdown, mas conseguimos melhorar ainda mais o ticket médio, que aumentou 32% com as ações que implementamos”,

finaliza.

Além de todo empenho do casal em ter mais flexibilidade, o suporte da Unhas Cariocas é fundamental para que este sonho siga em frente. “Aqui na Unhas Cariocas, apoiamos de forma completo os nossos franqueados, que precisam trabalhar duro, mas ao mesmo tempo, sabem que podem ter mais versatilidade no seu dia a dia para empreender e cuidar da sua vida, pois sabem que estão suportados para que o negócio siga em constante evolução”, completa o CEO da rede, Mauricio Cesar.

Unhas Cariocas

Fundada em 2017, a Unhas Cariocas surge como um sonho que se tornou realidade da fundadora Marina Groke. Na época, ela e seu marido Maurício César, decidiram iniciar um projeto inovador no segmento de esmalterias, já que era comum os locais onde tinham manicures cada uma com seu próprio padrão de serviço.

Procurando fugir deste tipo de serviço, e depois de muito estudo, Marina conseguiu achar o padrão ideal e totalmente diferenciado, que faria da Unhas Cariocas uma referência de esmalteria no País: a utilização do emoliente e da cureta.

Para atender as clientes com mais agilidade e segurança, a Unhas Cariocas desenvolveu o emoliente exclusivo que solta as cutículas de maneira rápida e prática e, junto com a cureta, transforma o atendimento em uma experiência mais agradável por cuidar das unhas sem retirar os famosos “bifes” que saem com o alicate, tradicionalmente usado por manicures.